Geral

Em MS, chegada do La Niña trará temperaturas mais amenas, mas provocará estiagem

Meteorologista do Inmet explica que características do La Niña serão perceptíveis a partir de julho e agosto

Mata seca na região do Parque do Lageado, na Capital (Foto: Arquivo/Henrique Kawaminami/Campo Grande News)

O fenômeno climático El Niño está chegando ao fim no Brasil, de acordo com o boletim divulgado nesta quarta-feira (12), pelo Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia). Entretanto, o instituto também prevê a chegada do La Niña no segundo semestre de 2024.

O El Niño é conhecido por aquecer as águas do oceano Pacífico e influenciar o clima global. Já o La Niña deve trazer efeitos inversos aos do El Niño. Deve haver aumento de chuvas no Norte e Nordeste, tendência de tempo mais seco no Sul e chuvas com menor regularidade no Centro-Sul.

Em Mato Grosso do Sul, a meteorologista do Inmet, Andrea Ramos, explica que as características do La Niña serão perceptíveis a partir de julho e agosto. Entretanto, ela aponta que as temperaturas estarão acima da média.

“As temperaturas da La Niña estarão mais amenas do que no El Niño. A questão climática é que de junho, julho e agosto as temperaturas ficarão acima da média”, explica a meteorologista do Inmet.

Andrea também destaca que, apesar de o La Niña trazer temperaturas mais amenas, haverá períodos de estiagem, baixa umidade e temperaturas mais elevadas durante o dia. “Pela manhã e ao final da noite será mais fresco, mas ao longo do dia as temperaturas se elevam”, explica.

A meteorologista também alerta que as condições climáticas provocadas pelo La Niña também podem influenciar a ocorrência de queimadas devido à baixa umidade e altas temperaturas.

Além disso, a previsão indica a chegada de massas de ar frio, que poderão trazer períodos de frio intenso por alguns dias. Há previsão de chegada de massas de ar frio, que levarão por alguns dias o frio intenso”, conclui Andrea.

Fonte: CAMPO GRANDE NEWS.

Compartilhe
Desenvolvido por