Geral

Empresário ameaça ‘quebrar a cara’ de assessor no ‘pé do palco’ (vídeo)

Confusão nos bastidores da 3ª Festa das Cores em São Gabriel do Oeste

Dono de empresa contratada pela prefeitura de São Gabriel do Oeste ameaçou assessor do Grupo de Dança Dinastia Crew. Foto: Reprodução

Wilson Henrique Jatobá da Cruz, de 28 anos, assessor de comunicação do Grupo de dança Dinastia Crew, foi ameaçado fisicamente neste sábado (4.mai.24) pelo empresário Nilson Pasqualetto Gonçalves Júnior, de 40 anos, dono da JR Promoções e Eventos.

Um vídeo enviado ao TeatrineTV mostra o momento em que Nilson avança contra Wilson ameaçando “quebrar cara” do assessor da Crew. De acordo com apurado pela reportagem, o grupo teria sido convidado pela Coordenadora de Cultura da Prefeitura de São Gabriel do Oeste, Ana Moreira, para integrar como atração na 3ª Festa das Cores que inicia neste sábado, 4 de maio, abrindo as celebrações do aniversário de 44 anos do município.

A Crew aceitou apresentar-se no evento, mesmo sem que a prefeitura oferecesse qualquer cachê, mas um atraso na entrega do palco teria deflagrado um confronto entre Wilson e Nilson, já que a Crew precisava realizar ao menos um ensaio no palco. As cobranças de Wilson para a liberação do palco teriam irritado Nilson que ameaçou “quebrar a cara” do integrante da Crew. Assista:

Além de Nilson, é proprietária da empresa JR a ex-candidata a Miss Flávia Lima da Silva Camargo Gonçalves. O nome jurídico da empresa é Gonçalves & Gonçalves Promoções e Eventos Artísticos LTDA – ME, que em seu descritivo diz organizar eventos como casamentos, aniversários, formaturas, data-shows, tendas e publicidade.
Já a Dinastia Crew tem Valter Brandão como fundador e diretor, contando com 13 integrantes.
Membros da Dinastia Crew durante apresentação em São Gabriel do Oeste. Foto: Reprodução

Num vídeo produzido para a rede social, Wilson que também é conhecido pelo apelido Wil, apresenta cronologicamente o problema citando-a como ‘denúncia’ contra a prefeitura de São Gabriel e contra a JR Promoções. Assista:

Após o episódio de ameaça, o grupo abortou a participação na Festa das Cores. “O grupo se mostrou insatisfeito com a organização e tratamento com eles, oferecido pela produção do que evento (Jr produções) e Prefeitura de São Gabriel do Oeste. Devido também a não conseguirem ensaiar no palco proposto. Após a ameaça, optara por não participar do evento”, disse Wilson.

O assessor também lamentou a inação dos presentes ante a ameaça. “Não houve intervenção por parte da cultura e não houve intervenção por parte do vice/prefeito, Valdecir Malacarne, que estava presente no momento da ameaça”, contou.

Wilson disse esteve na delegacia e buscará seus direitos. “Eu, Wilson Henrique, estive na delegacia para registrar boletim de ocorrência pela ameaça, mas não estavam em atendimento. Ao entrar em contato no telefone indicado, falei com o investigador Isaac, que me informou que eu poderia prestar o boletim de ocorrência na segunda-feira, pois aos finais de semana, seria possível fazer o B.O somente para casos em flagrante. Esse tipo de boletim não pode ser feito on-line”, explicou.

Procurado pela reportagem, Nilson disse que ele e sua equipe foi ‘insultada’ por Wilson. “O que ele está fazendo é uma calúnia. Ele veio me provocar, o palco não dá para subir. Eles já vieram pronto, o vice-prefeito estava do lado. Quando eles começaram a me insultar, insultar minha equipe”.

Na versão do empresário, antes do momento em que aparece exaltado no vídeo ocorreram ofensas por parte de Wilson. “Ele começou falando que a gente era irresponsável, que nós não tínhamos palavra. Tem testemunhas, que do lado falaram que ele realmente perdeu a razão. Eu queria deixá-los ensaiar, mas não dava. Infelizmente não pode subir no palco como estava, deixa o Bombeiro vir aqui, liberar, aí usa. Porque nós somos responsáveis… Depois cai alguma coisa, ou cai de cima de um palco desse, nós é que somos responsáveis. Eu disse que estava tentando entregar, tamo trabalhando aqui há dias virando noite e eles já estavam filmando com maldade”, anotou.

Ainda de acordo com Nilson, ele também buscará direitos. “Antes do vídeo eles me insultaram, também vou procurar meus direitos, porque ele veio no meu local de trabalho, me insultar. E eles se convidaram, nem são contratados do evento. Eu tenho a mensagem aqui, eles se convidaram…, mas o problema aqui é outro, é  quando uma pessoa vem insultar a outra, não são profissionais? Eu acho que tem que ter mais respeito, se a pessoa é profissional começa com ele. Se eles vão procurar os direitos deles, eu também vou procurar os meus”, garantiu.

O empresário completou dizendo que não tem mágoa e respeita os artistas. “O Valter é um baita profissional, respeito ele e todos… Eu não tenho mágoa nenhuma, só que a gente vai atrás dos direitos nossos também”, concluiu.

Ao longo deste sábado tentamos contato com o prefeito Jeferson Luiz Tomazoni e com a Secretaria Municipal de Cultura, Desporto e Turismo, chefiada por Alexandre Pierezan, para que as autoridades comentassem quais medidas serão adotadas acerca da situação. Apesar das diversas tentativas, a administração de São Gabriel do Oeste não atendeu. O espaço segue aberto para futuros posicionamentos.

Fonte: teatrinetv.

Compartilhe
Desenvolvido por