Polícia

O que se sabe sobre o caso do idoso que matou garota de programa e feriu outra em São Gabriel do Oeste

Ele será autuado por destruição, subtração ou ocultação de cadáver; feminicídio; feminicídio tentado; violência doméstica e familiar na forma tentada; e fraude processual.

Foto: Reprodução Midiamax Jennifer foi morta a tiros

Jennifer Gimenes Mongerroti, de 22 anos, foi assassinada a tiros na manhã de domingo (23), em uma fazenda em São Gabriel do Oeste. Ela estava com uma amiga no local, que ficou ferida, mas conseguiu fugir e ser socorrida.

As duas haviam ido até a fazenda do idoso que teria prometido R$1 mil, sendo dividido R$500 para cada pelo programa, mas a real motivação para o crime ainda não foi esclarecida.

Segundo a polícia civil, imagens de câmeras de segurança mostram que o autor saiu da fazenda às 6h da manhã em um GM Corsa e retornou com as vítimas por volta das 9h. O crime teria ocorrido em torno das 11h da manhã.

Ele acabou preso na madrugada do dia seguinte. Segundo a polícia, o suspeito também teria tentado atrapalhar as investigações, desligando o circuito de câmeras de segurança do local e alterando a cena do crime.

Jennifer foi encontrada morta escondida em meio a mata, ensanguentada com lesão aparente no seio direito. A arma do crime, um revólver Caramuru .22 também foi localizada, assim como 26 munições e uma luneta no guarda roupas do autor. 

Os pertences de Jennifer foram dispensados em meio a entulhos atrás da casa, onde havia uma camiseta azul ensanguentada.

Tiros, fuga e socorro

Um vizinho da fazenda foi quem socorreu a vítima. Em depoimento na delegacia ele contou que foi avisado por outro vizinho por volta das 17h de que havia uma mulher dentro do canavial, nua, ensanguentada gritando por socorro. Ele então foi até o local, resgatou a mulher, a levou para sua casa onde ofereceu água, já que ela alegava muita sede.

Depois a colocou no carro e levou para o hospital. Ela a questionou sobre o que aconteceu e a jovem contou que o idoso havia atirado nela e matado a amiga. Explicou ainda que as duas eram garotas de programa que haviam ido até a fazendo do autor para fazer programas no valor de R$1 mil , sendo R$500 para cada.

O homem a trancou no quarto e disse que mataria a amiga dela primeiro e depois voltaria para matá-la. Ela então conseguiu forçar a grade da janela e sair. Pegou uma faca para se defender e ajudar a amiga, quando o autor foi para a o lado dela e deu um tiro em sua cabeça. A mulher caiu e ele passou a estrangulá-la com um fio. Em seguida desmaiou, acordando no meio do mato. Assim que acordou, escutou dois disparos. 

Para o vizinho que a salvou, a vítima teria contado que tirou as roupas, para não chamar atenção, com medo que o idoso a encontrasse. O autor ainda teria ficado rodando, tentando encontrá-la dentro do mato, inclusive teria passado perto dela, mas não a viu. 

Após ele retornar para onde estava o corpo da amiga o viu colocando Jennifer em uma carriola.

Ela então fugiu por dentro do mato onde ficou até ser socorrida. A jovem ainda explicou que já fez programas com o idoso, mas que a amiga morta seria a primeira vez com o autor. Disse que em outras ocasiões após o programa o idoso sempre ficava ligando e mandando mensagens, querendo relacionamento sério, mas ela não respondia, pois não queria.

Ao ‘salvador’ a jovem comentou que por não saber o real motivo do crime, acredita que possa ter sido premeditado.

Confissão e prisão

Após o crime, por volta das 16h o idoso enviou mensagens via WhatsAssp para o genro pedindo para se encontrarem próximo da MS-430. O encontro aconteceu por volta das 16h40. 

Segundo relato do genro à polícia, o sogro teria dito: “Fiz uma cagada” e contou que havia matado uma mulher e a outra estava baleada, mas havia fugido. Ele ainda questionou o rapaz sobre o que deveria fazer, tendo como resposta que deveria se entregar para a polícia, mas negou.

O idoso teria explicado ao rapaz que discutiu com a vítima sobrevivente. O autor teria dito que a briga ocorreu por conta da filha em comum, de 5 anos, por causa de pensão. Depois da discussão, ele entrou no quarto, pegou a arma, carregou e atirou.

Contou que arrastou uma das vítimas até uma trilha, que segue para a cachoeira.

Depois da conversa, o genro disse que iria chamar policiais para relatar o ocorrido. No pelotão da Polícia Militar, foi informado que a denúncia do crime já havia chegado. 

Depois de incessantes buscas, o autor foi preso na madrugada de segunda-feira (24) na fazenda da mãe do genro, com os celulares das vítimas dentro de uma bolsa.

O suspeito será autuado por destruição, subtração ou ocultação de cadáver; feminicídio; feminicídio tentado; violência doméstica e familiar na forma tentada; e fraude processual.

Fonte: Midiamax.

Compartilhe
Desenvolvido por